Corretora de Seguros

Arquivo para Notícia Categoria

Regras de Seguro Multirrisco

Regras de Seguro Multirrisco

Seguro Multirrisco

1. Que proteção o seguro multirrisco oferece ao patrimônio da empresa?

Este seguro oferece mais tranqüilidade quanto a eventuais prejuízos que podem atingir

o patrimônio de sua empresa, sejam bens materiais (equipamentos, móveis, etc),

documentos ou valores em espécie. O empresário tem a possibilidade de resguardar o

patrimônio de sua empresa de forma mais ampla, conjugando várias coberturas em

uma única apólice. Mas, para que a escolha seja a melhor possível, é imprescindível que

ele tenha informações qualificadas. Por isso, é fundamental procurar um corretor de

seguros especializado e esgotar todas as dúvidas sobre o produto.

 

2. O seguro multirrisco patrimonial cobre os bens particulares do empresário?

Não. Este seguro se destina à cobertura de riscos contra bens de uso da empresa, ou

seja, edifícios, maquinários, equipamentos, instalações, móveis e utensílios. Porém,

numa microempresa, muitas vezes, o patrimônio pessoal está intimamente ligado ao da

empresa. Embora as necessidades de seguros pessoais do empresário sejam diferentes

das relativas ao seu negócio, é uma boa idéia falar com o corretor sobre como segurar

os riscos profissionais e pessoais com uma boa cobertura e a um bom preço.

 

3. Paguei o seguro compreensivo da minha empresa em várias parcelas. Se eu

deixar de pagá-lo, mesmo que momentaneamente, o que acontece com a

vigência?

O não pagamento de qualquer parcela na data de vencimento implica no cancelamento

da apólice de seguro; quanto à vigência considera-se a proporcionalidade do prêmio

pago em relação ao período decorrido e a decorrer.

 

4. Minha empresa está instalada em um imóvel comercial. Se acontecer um

sinistro, quem recebe a indenização: eu ou o proprietário do prédio?

Caso o seguro tenha sido contratado por você para garantir o imóvel e conteúdo, o

pagamento da indenização referente ao prédio será feito ao proprietário. Já a

indenização do conteúdo será creditada a você. É importante declarar o

beneficiário/proprietário do imóvel no contrato de seguro.

 

5. Tenho uma imobiliária que funciona no andar térreo de um prédio

residencial. Como posso contratar um seguro?

Você deve contratar o seguro com o CNPJ da empresa e enquadrá-la conforme a

atividade desenvolvida no local de risco. Como se trata de Prédio é importante

questionar sobre a existência do seguro do prédio no Produto Condomínio, para garantir

o conteúdo da imobiliária poderá contratar no Produto Empresa declarando a existência

de outros seguros (informar Nome da Seguradora e Vigência do Seguro).

 

6. Tenho uma franquia de lavanderia. Caso seja assaltada e saqueada,

precisarei apresentar as notas fiscais das máquinas para ser indenizado?

A apresentação das notas fiscais é necessária para demonstrar a existência dos bens.

Porém, caso você não tenha guardado todas as notas, a seguradora irá solicitar outras

formas de registro para apuração, pois a comprovação precisa compor o processo.

 

7. Acabo de abrir uma pizzaria. Quando for feito o contrato de seguro, o valor

da indenização também será estipulado?

O segurado deverá fixar o limite máximo de indenização para cada garantia contratada,

de acordo com suas necessidades e respeitando os limites de aceitação do plano de

seguro. Esses valores serão discriminados na apólice e representarão a responsabilidade

máxima por sinistro a cargo da seguradora.

O valor da indenização a que o segurado tem direito, com base nas condições da apólice

não poderá ultrapassar o valor do objeto ou interesse segurado no momento do sinistro

, visto que o princípio do seguro é a reposição do bem amparado no contrato/condições

do seguro.

 

8. Tenho uma pequena clínica de estética e quero contratar um seguro. A base

de cálculo é a mesma de uma empresa de médio porte para elaborar a apólice?

Não. Os valores a serem segurados devem ser calculados levando em consideração a

área construída, instalações, acabamento utilizado, além do conteúdo existente no risco

(máquinas, móveis, utensílios, mercadorias e matérias-primas). O custo do seguro é

estabelecido de acordo com cada atividade, região, sistema de proteção; valores e

coberturas contratadas.

 

9. Fiz um empréstimo bancário para pagar à vista o seguro da minha empresa.

Se eu atrasar uma das prestações ao banco, como fica a minha apólice?

Fica vedado o cancelamento do contrato de seguro cujo prêmio tenha sido pago à vista,

mediante financiamento obtido com instituições financeiras. A inadimplência, nesse

caso, tem de ser negociada com o banco.

 

10. Estou contratando o seguro do meu escritório de advocacia. Caso o sinistro

aconteça antes do pagamento do prêmio, pode haver problemas em relação à

indenização?

Se o sinistro ocorrer dentro do prazo de pagamento do prêmio, sem que esteja

efetivado, o direito à indenização não ficará prejudicado. Entretanto, decorrido o prazo

de pagamento sem que tenha sido quitado o respectivo documento de cobrança, o

contrato ficará automaticamente cancelado independentemente de qualquer

interpelação judicial ou extrajudicial.

 

11. Fiz um contrato de seguro compreensivo. Há perigo de a seguradora

rescindir ou cancelar o contrato de seguro?

A rescisão ou cancelamento do contrato de seguro, no todo ou em parte, pode

acontecer nas seguintes situações:

 por inadimplência do segurado;

 por perda de direito do segurado, como

exemplo declarações inexatas/falsas ou

omissão de informações que possam

influir na aceitação da proposta ou valor

do prêmio de seguro; alterações no risco

como reformas/obras; alteração da

atividade; ausência de equipamentos de

proteção, etc;

 por esgotamento do limite máximo de

garantia da apólice;

 quando a indenização ou série de

indenizações pagas atingirem o limite

máximo de indenização de determinada

cobertura, o cancelamento afetará apenas

essa cobertura

 se o cancelamento tiver partido da

seguradora, haverá retenção do prêmio

proporcional ao tempo de vigência

decorrido e cobrança das despesas da

seguradora com impostos e outros

encargos; e

 quando a solicitação for feita pelo

segurado, a seguradora reterá, além das

despesas com impostos e outros

encargos, o prêmio calculado de acordo

com a “Tabela de prazo curto” que é

aplicada para calcular o prêmio de

seguros com prazo de duração inferior a

um ano.

 

 

12. Escolhi pagar a apólice da minha empresa em 12 prestações. Se

acontecer um sinistro no sexto mês de vigência, como será feito o

pagamento do prêmio?

O parcelamento máximo do Produto Empresa está fixado em até 10 parcelas,

em caso de perda parcial, o seguro continua vigente e os pagamentos devem

ser feitos de acordo com o vencimento das parcelas. Quando for reconhecida

perda total, as parcelas pendentes serão deduzidas da indenização e o seguro

será cancelado após o pagamento da indenização.

 

13. Minha empresa foi assaltada e foi utilizado quase todo o valor da

indenização contratado para roubo e furto qualificado. Caso necessite

acionar essa garantia novamente durante a vigência do seguro, terei

direito à indenização?

A empresa tem direito à indenização, limitada ao valor contratado para a

garantia, descontado do o valor recebido pelo sinistro anterior. Recomenda-se

que a empresa solicite ao seu corretor para verificar junto a seguradora uma

recomposição do limite máximo de indenização. O processo de recomposição da

garantia recebe o nome de reintegração.

 

14. Posso escolher o dia de vencimento das parcelas do seguro da

minha empresa?

Sim, desde que o vencimento da 1ª. parcela não tenha prazo superior a 30

dias, contados da emissão da apólice/endosso, bem como a data de vencimento

da última parcela não poderá ultrapassar/exceder o final de vigência da

apólice/endosso.

 

15. O cofre da minha empresa foi arrombado durante um assalto. Posso

consertá-lo antes de correr todo o processo de liquidação do sinistro?

Você deve consultar a seguradora, por escrito, antes de qualquer iniciativa para

consertar o cofre. Depois da autorização da seguradora, lembre-se de guardar

nota fiscal e/ou recibo correspondente aos reparos. São esses documentos que

irão provar o valor pago após o prejuízo.

 

16. Quando acontece roubo/ou furto qualificado de bens e valores, os

danos são cobertos pelo seguro compreensivo?

Roubo de Bens: O seguro garante as perdas e/ou danos ocorrido no local do

risco decorrente de roubo ou furto qualificado de matérias primas, mercadorias,

instalações, máquinas e equipamentos inerentes ao ramo de negócio do

segurado que não conste como Bens Não Compreendidos no Seguro e mediante

comprovação por notas fiscais ou livros contábeis.

Em caso de roubo/furto de valores, os riscos cobertos garantem os prejuízos

ocorridas no interior do estabelecimento segurado ou em trânsito em mãos de

portadores e destruição ou perda de valores, decorrentes de roubo ou furto

qualificado, ou de sua tentativa, até o limite máximo de indenização. É

importante atentar as Cláusulas de Proteção e Controle de Valores; Cláusula de

Proteção Especial e Cláusula de Obrigatoriedade de Depósito Bancário(aplicável

a todos os Segurados).

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos elétricos na estrutura e nos equipamentos;

Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

Regras do Seguro de Automóveis

Regras do Seguro de Automóveis

Regras de Seguro de Automóveis

Regras de Seguro de Automóvel

  1. Ao vender o carro, o seguro é transferido automaticamente para o novo proprietário?
    Não. A cobertura do seguro cessa com a venda do veículo. O novo segurado deve formalizar um pedido de seguro ao seu corretor de seguros. A transferência do seguro só pode ocorrer em alguns casos de acordo com regras estabelecidas pelas Seguradoras através de uma Transferência de Direitos e Obrigações (TDO).

  2. Devo avisar o corretor de seguros quando instalo opcionais ou faço modificações no meu veículo?
    Sim, o corretor deve ser avisado e o mesmo fará a recomendação necessária para cada tipo de alteração, podendo ser necessário submeter seu veículo a uma nova vistoria do seguro.

  3. Quando fiz meu seguro, eu morava e circulava com meu veículo somente em uma cidade. Agora, mudei-me para outra cidade e não comuniquei minha nova região de circulação ao seguro. Estou coberto?
    Não. Por isso é importante que você comunique qualquer mudança de endereço para ajuste do seguro do local correto de circulação e pernoite do veículo. As maiorias da Cias Seguradoras taxam o seguro pelo CEP de pernoite do veículo segurado, portanto, a apólice deve sempre conter o local correto de risco do veículo segurado. Há no seguro, uma “Cláusula de Perda de Direitos” que isenta a seguradora da obrigação decorrente da apólice se o segurado omitir informação que possa influenciar no correto enquadramento tarifário do seguro e, deixar de cumprir as obrigações convencionadas na apólice.
    O que é ‘Cláusula de Avaria’?
    Todas as avarias observadas em seu veículo na contratação ou renovação são qualificadas em vistoria e excluídas da cobertura do seguro em caso de sinistro de Perda Parcial.
    Caso você venha a repará-las durante a vigência do seguro, deverá submeter o veículo a uma nova vistoria para exclusão da ‘Cláusula de Avaria’.

  4. O que é franquia e em que caso não é aplicado?
    Franquia é uma participação obrigatória do cliente em cada sinistro que venha a ter no veículo. O cliente pode contratar o seguro com até 03 tipos de franquia: reduzida, normal ou majorada (50%, 100% ou 200%).
    A franquia não será aplicada em caso de perda total do veículo ou danos causados a terceiros (cobertura para terceiros).

  5. O que é franquia normal?
    Franquia normal é aquela em que o cliente participa com um valor de franquia estabelecido para o veículo, na sua categoria tarifária.

  6. O que é franquia reduzida?
    Franquia reduzida é aquela em que o cliente participa com metade do valor da franquia normal, de acordo com o modelo do veículo.

  7. Posso escolher a modalidade de franquia no Seguro de Auto?
    Sim. Ao contratar o seu seguro, nas coberturas Compreensivas ou Incêndio e Roubo, você pode optar por uma das duas modalidades de franquia previstas: normal ou reduzida, exceto nos casos em que a Seguradora não disponibiliza a contratação da franquia reduzida.

  8. É possível alterar o tipo de franquia?
    Sim. Você poderá alterar a qualquer tempo sua franquia através de um endosso na apólice, observadas as condições vigentes.

  9. A franquia influencia o preço do seguro?
    Sim. Quanto menor a franquia, maior é o custo do seguro. Você, então, pode optar pela combinação mais adequada às suas necessidades e ao seu orçamento: normal ou reduzida.

  10. Por que tenho que pagar a franquia?
    No contrato de seguro, a franquia é a parte obrigatória do segurado nos prejuízos de perda parcial do veículo. Assim, quando os prejuízos são menores que a franquia não é necessária acionar o seguro, pois para o veículo segurado ser atendido pela seguradora é necessário que os prejuízos ultrapassem o valor da franquia.

  11. A franquia cobre atendimento a terceiro?
    Não. Quando o atendimento é para terceiro não existe franquia, esta é válida somente para o veículo segurado.

  12. Se for declarada perda total do meu veículo, eu pago a franquia?
    Não. Em casos de colisão seguida de indenização integral o segurado não arca com o valor da franquia, sendo esta somente para casos de danos parciais.

  13. Em qual caso eu não pago a franquia?
    Em casos de indenização integral (por roubo, furto, colisão ou incêndio) e em casos de danos parciais por incêndio.

  14. Qual o destino do veículo sinistrado com indenização integral?
    Após o pagamento da indenização, o veículo (salvado) passa a pertencer à seguradora, que passa a ser responsável por ele. A seguradora deverá observar as normas do CONTRAN com relação à circulação desses veículos.

  15. Há mais de uma forma de contratação do seguro de automóvel?
    Sim. Quando você contratar ou renovar seu seguro, você será informado que existem duas opções de contratação: Seguro Valor de Mercado Referencial e Seguro Valor Determinado.

  16. Qual a diferença entre os tipos de seguro acima?
    Ao renovar ou contratar um Seguro Automóvel, você terá duas opções de contratação, a saber: Seguro Valor de Mercado Referenciado e Seguro Valor Determinado
    Na opção Valor Referenciado (que vem substituir a opção Valor de Mercado), será ajustado e pactuado na contratação um fator de ajuste (percentual) sobre uma Tabela Pública de Veículos, que representará o valor de mercado do veículo, seja para fins de contratação seja para fins de indenização durante vigência do seguro.
    Na opção Valor Determinado, você poderá segurar seu veículo com base em um valor em reais fixo que prevalecerá durante toda a vigência do seguro. Nesta opção as seguradoras costumam limitar o valor.

  17. Qual tabela as seguradoras adotam e como devo escolher o fator de ajuste na opção Valor de Mercado Referenciado?
    A maioria das seguradoras usa a Tabela FIPE (da Fundação Getúlio Vargas). Na contratação, você optará por um fator de ajuste entre 90% a 105% sobre o valor previsto na tabela.
    Assim, por exemplo, se em sua cidade o valor de seu veículo no mercado é de R$ 21.000,00, mas na tabela seu carro tem valor de R$ 20.000,00, você poderá ajustar na contratação o fator de 105% da Tabela FIPE.
    Desta forma, se durante a vigência do seguro você vier a perder seu veículo, receberá o valor equivalente a 105% da Tabela FIPE vigente no mês em que estiver recebendo da seguradora.

  18. Na opção Valor de Mercado Referenciado, como poderei saber o valor que receberei em caso de perda do veículo?
    Basta você aplicar o fator ajustado previsto em sua apólice (escolhido na contratação) sobre o valor do veículo previsto na Tabela FIPE (Revista Quatro Rodas) na ocasião do recebimento da seguradora.
    Exemplo: Valor segurado para o veículo = 105% da Tabela FIPE.
    Se na data em que você receber a indenização da seguradora o veículo estiver na Tabela valendo R$ 20.000,00, você receberá R$ 21.000,00 (equivalente a 105% de R$ 20.000).

  19. Quando o seguro é feito sob a modalidade Perfil, que cuidados devem tomar?
    No seguro fechado sob Perfil, você teve um desconto adicional baseado em um questionário com informações fornecidas por você. Assim, é importante que qualquer alteração no comportamento ou nos dados do perfil seja avisada por escrito à corretora de seguros, para que esta altere os dados constantes na apólice e verifique se haverá perda do direito ao desconto concedido.
    É importante ressaltar que, em caso de sinistro, será verificado se as informações prestadas conferem com a que foi dada por você na contratação, podendo a cobertura ser prejudicada se houver omissão da verdade e/ou mudança no perfil não avisado.
    Exemplo: se você informou que seu carro sempre pernoita em garagem fechada na sua residência e de repente isto não mais acontece, caso seu veículo seja furtado quando em pernoite na rua, a cobertura estará prejudicada.
    Portanto, leia atentamente o Perfil que está em sua apólice e qualquer modificação avise a Corretora para ajuste no seguro.

  20. Quando sofro um acidente, posso levar meu carro a qualquer oficina ou terei que levá-lo a uma oficina credenciada?
    Você tem livre escolha e pode levar seu veículo a qualquer oficina. As oficinas credenciadas constituem-se em uma opção recomendada a você, facilitando e agilizando os reparos, com excelente qualidade de serviços e vantagens, como o parcelamento e desconto em franquia.

  21. Quando fiz seguro, meu carro possuía um aparelho CD player. Ele está coberto se for furtado de dentro do veículo?
    Não. No seguro automóvel, todos os equipamentos de som instalados no carro, mesmo que originais de fábrica, somente estarão cobertos se especificado, quando da contratação do seguro, um valor segurado específico para os mesmos e pago um custo adicional no seguro. Assim, se desejar ter essa cobertura para furto, roubo ou dano parcial do mesmo, deverá, na contratação, designar valor para ele ou solicitar a inclusão do mesmo durante a vigência, pagando o custo adicional pelo período a decorrer.

  22. Quando faço seguro de um veículo 0 km, por quanto tempo tenho direito à indenização em caso de perda total por outro 0 km?
    A garantia de reposição no seguro Valor de Mercado Referenciado será de 03 (três) meses a contar da data da saída do veículo da revenda, constante da Nota Fiscal. Esse prazo pode ser ampliado para 06 meses mediante pagamento de custo adicional no seguro. A condição desta garantia exige que o seguro tenha sido efetuado até 03 dias da data de saída constante da Nota Fiscal de Venda e o veículo não tenha sofrido nenhum outro acidente no período.

  23. A franquia se aplica também ao veículo do terceiro quando eu for culpado?
    Não. A franquia só se aplica ao seu veículo. Os danos a terceiros são integralmente cobertos pelo seguro até o limite do valor segurado contratado em sua apólice.

  24. Meu carro está financiado. Quanto recebo se o veículo sofrer perda total?
    As seguradoras, de maneira geral, primeiro quitam a sua dívida com a instituição que financiou a compra, depois pagam a diferença a você. Se, por exemplo, o valor de mercado a ser indenizado for de R$ 15.000,00, mas você deve R$ 6.000,00 à financeira, você receberá a diferença de R$ 9.000,00.

  25. O que é cobertura adicional de despesas extraordinárias no seguro?
    É uma cláusula opcional, recomendada quando da contratação do seguro, que lhe garante em caso de perda total do veículo um pagamento adicional ao valor médio do veículo, observando o limite máximo previsto na apólice, a título de despesas, sem a necessidade de comprovação.

  26. Eu estava numa confraternização com amigos e acabei bebendo mais do que devia. Se ao sair eu bater o carro, o seguro paga?
    Não. Existem situações que nenhum seguro lhe dará cobertura, tais como: o condutor do veículo o fizer sob ação de álcool, drogas ou entorpecentes; o veículo for conduzido por pessoa não habilitada; o veículo for usado para fins diferentes do designado no seguro; o condutor dirigir de forma culposa ou dolosa; o condutor participar de competições, pegas, rachas, apostas ou provas de velocidade.

  27. Minha cobertura para danos a terceiros inclui uma eventual condenação por dano moral?
    Não. A cobertura de responsabilidade civil em seu seguro é feita para o risco de danos materiais e danos corporais que você cause a terceiros. O risco de dano moral é opcional e, se você desejar, poderá contratar esta garantia, através de verba específica. O dano moral é um valor que lhe pode ser atribuído em caso de acidente que você seja considerado culpado, por sentença judicial, pela percussão negativa decorrente da dor ou constrangimento oriundo da violação ao patrimônio ou lesão corporal sofrida por terceiros após um acidente.

  28. Bati em outro carro. O que faço?
    Primeiro providencie o registro policial da ocorrência, tranqüilize o terceiro informando-o sobre seu seguro e oriente-o a comparecer ou contatar a corretora, munido de uma cópia do B.O. (boletim de ocorrência), documento do veículo e habilitação. A corretora o encaminhará a uma oficina credenciada para os reparos necessários. Em seguida, você deverá contatar a corretora para formalizar o aviso do evento, para que a corretora atenda ao terceiro. Se o seu veículo não puder se locomover, acione a Assistência 24 horas, serviço este que não é extensivo ao terceiro.

 

  1. Meu carro quebrou em casa. O seguro pode me ajudar?
    Claro. Basta acionar o Serviço de Assistência 24 Horas, que um guincho gratuito se encontra à sua disposição, seja em casos de pane ou acidente. Neste caso, o guincho removerá o seu carro para uma oficina de sua confiança. Portanto, mantenha sempre em sua carteira o cartão da Assistência 24 Horas de seu seguro de automóvel, pois você poderá precisar dele na hora em que menos esperar.

 

  1. O que é Bônus?
    O Bônus é um indicador de experiência do Segurado, expresso em classes, representado pelo histórico de renovações de cada apólice/item.
    Este indicador representa a experiência do segurado em função dos sinistros ocorridos e indenizados, a cada período de um ano de vigência do seguro. A classe de bônus será progressivamente maior a cada renovação sem sinistro e sem interrupção de vigência, aumentando em razão do número de anos sem sinistro até a classe máxima 10 (dez). Diferente disso, a classe de bônus será mantida ou reduzida de acordo por regras estabelecidas por cada Seguradora.

 

  1. A cobertura de vidros é considerada como sinistro e desconta bônus da apólice na renovação?
    Não. A cobertura de vidros é uma assistência e, portanto, não será descontado bônus na renovação da apólice.

 

  1. Como devo proceder para o recebimento de indenização integral?
    No caso de indenização integral, o segurado deverá, ocorrendo sinistro, avisar imediatamente a seguradora, preencher o formulário de aviso de sinistro e apresentar a documentação necessária, definida nas condições gerais do seguro. Nos casos de indenização integral, o documento de transferência de propriedade do veículo deverá ser devidamente preenchido com os dados de seu proprietário e da sociedade seguradora.

  2. Como devo proceder para o recebimento de indenização parcial?
    Para a indenização parcial por avarias, ou seja, por danos materiais causados ao veículo que não acarretem a indenização integral, o segurado deverá, no caso de sinistro, avisar imediatamente a seguradora, preencher o formulário de aviso de sinistro, levar o veículo a uma oficina de sua livre escolha (é possível que a seguradora ofereça algumas vantagens para utilização de rede credenciada, mas não pode impedir o segurado de escolher determinada oficina) e aguardar autorização prévia da seguradora para serem efetuados os consertos.

 

  1. O segurado assumiu a culpa pelo acidente no lugar de outro motorista que não tem seguro. Quais são os riscos?
    Um motorista sem seguro bate no carro de outro que tem seguro. O segurado assume a culpa pelos dois acidentes, mas o outro paga a franquia dele. Parece um acordo bom para os dois lados, só que isso é fraude (equivalente a roubo!). Além do aspecto moral, as seguradoras utilizam um vasto arsenal tecnológico para identificar esse tipo de situação. As empresas podem reconstituir os acidentes e verificar se há divergências com o que o segurado informou. As seguradoras estimam que pelo menos 20% das indenizações pagas têm algum tipo de irregularidade. Para reduzir esse percentual, que resulta em maior preço do seguro para todos. As seguradoras têm sido cada vez mais rigorosas, inclusive denunciando criminalmente os responsáveis.

 

  1. À noite, não guardei o meu carro na garagem e ele foi roubado. A seguradora paga a indenização?
    A maioria das seguradoras indeniza o segurado se for possível provar que o carro pernoitava regularmente na garagem e a noite do furto foi uma exceção. Porém, se a empresa provar que o carro pernoitava na rua habitualmente, pode negar a indenização.

  2. O segurado deixou o carro com um manobrista e ele bateu. O que fazer?
    As empresas que oferecem serviço de manobrista devem ter um seguro que dê garantia contra furto, roubo ou acidente. O problema é que há várias empresas que atuam na informalidade e não têm seguro. Nesses casos, o segurado tem de fazer um Boletim de Ocorrência e acionar a sua seguradora, que vai então cobrar da empresa responsável pelo manobrista. Mas a seguradora vai ressarci-lo do prejuízo.

  3. O segurado viajou para um país do MERCOSUL. Bateu o carro ou este foi roubado. A indenização é paga?
    A maioria das apólices de seguro de automóvel tem validade no MERCOSUL. Quem viaja para os países do MERCOSUL (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) é obrigado a contratar um seguro chamado “Carta Verde”. É um seguro de responsabilidade civil para indenizar diretamente outras pessoas que não estão dentro do carro, por danos corporais e materiais ou reembolsar o segurado das despesas que tiver, inclusive com honorários de advogado e custas judiciais. O prêmio do seguro Carta Verde varia de acordo com o período da viagem e é cotado em dólar. No caso de viajar de carro para outros países que não os do MERCOSUL, não há cobertura automática na apólice normal, sendo necessária, para se ter a cobertura, a contratação de uma cláusula específica – extensão de perímetro.

 

  1. Ao utilizar a garantia de Assistência 24 horas, perde-se bônus?
    Não. A perda de bônus, só acontece quando se utiliza a cobertura do próprio automóvel, ou de terceiros; e a perda nesse caso é de uma classe de bônus por sinistro reclamado

 

  1. Minha carteira de motorista está vencida, ainda tenho a cobertura do seguro?
    O motorista do veículo deverá estar regularmente habilitado. Seu carro permanece no seguro, porém você está inabilitado para dirigir. Caso você dirija seu carro com a carteira vencida, além de infringir as Leis de trânsito, estará descoberto. Faça o exame médico e atualize sua carteira no DETRAN de sua cidade. Não há necessidade de comunicar isto à seguradora, porém é fundamental que você mantenha sua carteira de motorista regularizada.

 

  1. Se for comprovado que eu estava alcoolizado no momento do acidente, terei direito à indenização?
    Não. O mesmo ocorre se for comprovado que o motorista estava dirigindo sob efeito de drogas ou não estava habilitado.

 

  1. Meu seguro é cancelado depois que recebo a indenização por perda total?
    Sim. Sua apólice é cancelada imediatamente após a indenização por perda total em caso de acidente, roubo ou furto. Por isso, se você tiver parcelado o pagamento do seguro, antes de indenizá-lo a seguradora solicitará que sejam quitadas as parcelas restantes. Para que seu novo veículo fique segurado, você terá de contratar uma nova apólice.

 

  1. A partir de quando meu carro estará efetivamente segurado?
    Tecnicamente falando, a cobertura é dada a partir do momento em que for realizada a vistoria prévia de seu veículo e quando o pagamento da primeira parcela do seguro (ou do seguro total) estiver efetuado. Vale ressaltar que as seguradoras, dão um prazo, para que o cliente efetue esse pagamento, tal prazo pode estender-se por até cinco dias corridos; nessa hipótese o veículo permanece coberto pelo seguro, mas em caráter provisório, e o seu corretor é quem tomará as providências para que essa cobertura provisória tenha validade.

 

  1. Para que serve a cobertura de Responsabilidade Civil?
    Esta cobertura é uma das mais importantes na contratação do seguro de seu automóvel. É através dela, que estarão garantidos os danos ocasionados a terceiros, por culpa do seu veículo, nos sinistros (acidentes) onde você seja legalmente considerado culpado, sendo por meio de acordos previamente aceitos pela seguradora ou aqueles que forem transitados em julgado. Em outras palavras, se você atropelar alguém, ou bater no carro de outra pessoa, é a cobertura de RCF-V (Responsabilidade Civil Facultativo – Veículos) que garantirá a indenização, limitada ao valor contratado na apólice, aos terceiros prejudicados.

 

  1. Qualquer pessoa pode retirar o carro reserva?
    Não. Somente o segurado ou o condutor principal da apólice pode retirar o carro reserva. Ambos devem ser maiores de 21 anos e habilitados para dirigir, ter no mínimo dois anos de habilitação e possuir cartão de crédito. Na falta de algum desses itens, o carro reserva não será liberado, mesmo que contratado na apólice.

 

  1. Quando devo acionar o seguro de meu carro para resolver problemas com estacionamentos?
    Compensa acionar o seguro nos casos de perda total (furto ou roubo). Se o prejuízo for pequeno, ou seja, o valor se aproxima ou ultrapassa um pouco o da franquia (um vidro quebrado ou uma leve batida, por exemplo), não compensa acionar seu seguro, pois além de pagar a franquia, ao usá-lo você deixará de ganhar um desconto para renovação. É importante lembrar que se você optar por acionar o seguro de seu carro para resolver um problema, nada impedirá que você cobre do estacionamento o valor de sua franquia somado ao bônus que perderá ao renovar o seguro por tê-lo usado. Os Juizados Especiais são uma boa alternativa para pleitear esse direito.

 

  1. O que é o Seguro de Acidentes Pessoais de Passageiros?
    O objetivo deste Seguro é a indenização por danos decorrentes de acidentes pessoais ocorridos aos passageiros, quando transportados em veículos de uso particular ou público e destinados a este fim.
    Considera-se acidente pessoal o evento com data caracterizada, de origem externa, súbito, involuntário e violento, causador de lesão física que, por si só e independente de toda e qualquer outra causa, tenha como conseqüência direta a morte ou invalidez permanente total ou parcial dos passageiros ou torne necessário o tratamento médico.

 

  1. O que é o Seguro DPVAT?
    É o Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre foi criado em 1974 por meio da Lei nº 6.194. Desde então, ele é cobrado anualmente durante o licenciamento do veículo.

 

  1. Qual a finalidade do Seguro DPVAT?
    Foi criado com o intuito de amparar as vítimas de acidentes de trânsito em todo o território brasileiro, não importando de quem seja a culpa dos acidentes.

 

  1. Quem pode requerer o DPVAT?
    Os familiares ou a vítima podem solicitar a indenização do seguro obrigatório de acidentes ocorridos nos últimos 20 anos. As indenizações do DPVAT são pagas independentemente de apuração de culpa, da identificação do veículo ou de outras apurações, desde que haja vítimas, transportadas nos veículos envolvidos ou não.

Nós da ALL RIDERS SEGUROS temos a preocupação e cuidado voltado para que nosso cliente tenha seu seguro de maneira mais apropriada possível em relação à sua necessidade.

Faça uma cotação conosco….

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos elétricos na estrutura e nos equipamentos;

Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

Mais sobre a História do Seguro

Mais sobre a História do Seguro

Mais história do Seguro…

Um pouco de história:

A história do seguro remonta a séculos antes de Cristo, quando as caravanas atravessavam os desertos do Oriente para comercializar camelos. Como alguns animais sempre morriam no caminho, os cameleiros firmaram um acordo no qual pagariam para substituir o camelo de quem o perdesse. No ramo da navegação, também foi adotado o princípio de seguro entre os fenícios, cujos barcos navegavam através dos mares Egeu e Mediterrâneo. Existia, entre os navegadores, um acordo que garantia a quem perdesse um navio a construção de outro, pago pelos demais participantes da mesma viagem. A preocupação com transporte marítimo tinha como causa interesses econômicos, pois o comércio exterior dos países se dava apenas por mar. A ideia de garantir o funcionamento da economia por meio do seguro prevalece até hoje. A forma de seguro é que mudou, e se aperfeiçoa cada vez mais. O primeiro contrato de seguro nos moldes atuais foi firmado em 1347, em Gênova, com a emissão da primeira apólice. Era um contrato de seguro de transporte marítimo. Daí pra frente, o seguro foi ainda mais impulsionado pelas Grandes Navegações do século XVI, pela Revolução Industrial e pelo desenvolvimento da teoria das probabilidades associada à estatística.

Leia mais em: http://www.tudosobreseguros.org.br/portal/pagina.php?l=382
Copyright � Todos direitos reservados a Escola Nacional de Seguros. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Veja nossa política de permissão para utilização de conteúdo de nosso site em: http://www.tudosobreseguros.org.br/sws/tools/reproducao/reproducaoedt.html

Nós da ALL RIDERS SEGUROS temos a preocupação e cuidado voltado para que nosso cliente tenha seu seguro de maneira mais apropriada possível em relação à sua necessidade.

Faça uma cotação conosco….

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos elétricos na estrutura e nos equipamentos;

Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

O Que é o Seguro

O Que é o Seguro

O que é o Seguro…

1.O que é seguro?

O seguro baseia-se no princípio do mutualismo, pelo qual é possível estimar que um grupo de pessoas seguradas, quando expostas aos mesmos riscos, produzirá determinado número de eventos (os sinistros), calculados em termos estatísticos e cobertos pela apólice.

Suas condições são definidas por contrato formalizado em documento (a apólice), que visa garantir proteção a uma pessoa (o segurado), quando esta esteja exposta a determinados acontecimentos incertos (o risco). Tal proteção é adquirida mediante o pagamento antecipado de importância (o prêmio) ao segurador, que se compromete a indenizar o segurado em caso de ocorrência de sinistro, de acordo com as condições estipuladas na apólice.

2.O que é prêmio do seguro?

É o valor que o segurado paga à seguradora pelo seguro para transferir a ela o risco relativo aos seus bens segurados. Pagar o prêmio é uma das principais obrigações do segurado.

3.Como é determinado o valor do prêmio do seguro?

O valor do prêmio será fixado pela seguradora a partir das informações que lhe foram envidas pelo segurado (Perfil do Segurado). As seguradoras estão liberadas para fixar seus prêmios e a forma de pagamento (se o prêmio será à vista ou parcelado).

4.O que acontece se houver atraso nos pagamentos dos prêmios?

O não pagamento do prêmio nas datas previstas poderá acarretar a suspensão ou até mesmo o cancelamento do seguro, prejudicando o direito à indenização, caso o sinistro ocorra após a data de suspensão ou cancelamento. É extremamente importante manter todos os comprovantes de pagamento do prêmio para eventual reclamação de indenização.

5.O que é Sinistro?

Termo utilizado para definir em qualquer ramo, o acontecimento do evento previsto e coberto no contrato.

6.Como devo proceder em caso de sinistro?

O segurado deverá avisar imediatamente o seu corretor, que irá orienta-lo como proceder junto à seguradora, apresentando em tempo hábil, a documentação necessária definida nas condições gerais do seguro.

Procure fazer SEMPRE o Boletim de Ocorrência (BO), junto à autoridade competente.

7.As condições contratuais podem ser alteradas após a emissão da apólice?

Podem. Mas, como qualquer alteração contratual, dependerá de comum acordo entre as partes (segurado e segurador).

 

8.O que se entende por perda de direito?

Trata-se da ocorrência de um fato que provoca a perda do direito do segurado à indenização, ainda que, a princípio, o sinistro seja oriundo de um risco coberto, ficando, então, a seguradora isenta de qualquer obrigação decorrente do contrato. Ocorre a perda de direito se:

  • O sinistro ocorrer por culpa grave ou dolo do segurado ou beneficiário do seguro;
  • A reclamação de indenização por sinistro for fraudulenta ou de má-fé;
  • O segurado, corretor, beneficiários ou ainda seus representantes e prepostos fizerem declarações falsas ou, por qualquer meio, tentarem obter benefícios ilícitos do seguro;
  • O segurado agravar intencionalmente o risco.

9.Qual é o início de vigência do seguro?

No caso de seguro de propostas recepcionadas pela seguradora com adiantamento para futuro pagamento de prêmio, o contrato terá início de vigência a partir da data da recepção da proposta pela seguradora.

No caso de seguro em que a proposta foi recepcionada na seguradora sem pagamento de prêmio, o início de vigência da cobertura será a data de aceitação da proposta ou outra, se expressamente acordarem segurado/seguradora.

10.A seguradora poderá recusar a proposta?

Sim. A sociedade seguradora tem o prazo de 15 dias para se pronunciar quanto à proposta de seguro apresentada pelo segurado ou seu corretor. Encerrado este prazo, não tendo havido a recusa da seguradora, o seguro passa a ser considerado aceito.

No caso de recusa, a seguradora deverá comunicar formalmente ao segurado a não aceitação do seguro.

11.O que é indenização?

É o valor que a seguradora paga ao segurado em caso de sinistro (acidentes ou roubo), indenizando-o pelo prejuízo financeiro sofrido. Em caso de colisão, a indenização é paga diretamente à oficina, ficando o segurado responsável apenas, pelo pagamento da franquia expressa na apólice.

12.O que devo conferir na apólice de seguro?

Na apólice estão descriminadas todas as características do seu seguro, como:

  • Dados pessoais do segurado
  • Dados dos beneficiários (quando houver)
  • Coberturas contratadas
  • Local de Risco (endereço onde está o bem segurado)
  • Condições gerais e particulares
  • Valores segurados
  • Franquias e Participações Obrigatórias
  • Cláusulas
  • Custo do seguro
  • Forma de Pagamento
  • Cartão da Assistência 24 horas

 

13.O que é endosso?

É o documento emitido pela seguradora comprovando e expressando qualquer tipo de alteração na apólice seja, por exemplo, alteração do endereço de residência em função de mudança, acerto de nome, endereço ou CEP, aumento da importância segurada (capitais) das coberturas, cancelamento do seguro, etc.

14.Como faço para alterar os dados da minha apólice?

Você deve entrar em contato com o seu corretor, que preencherá o formulário de alteração de dadosque o enviará à seguradora para

emissão do endosso. É muito importante a alteração, principalmente, em se tratando de valores de cobertura, mudança de endereço etc.

Nós da ALL RIDERS SEGUROS temos a preocupação e cuidado voltado para que nosso cliente tenha seu seguro de maneira mais apropriada possível em relação à sua necessidade.

Faça uma cotação conosco….

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos elétricos na estrutura e nos equipamentos;

Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

História do Seguro

História do Seguro

História do Seguro

História do Seguro

INÍCIO DA ATIVIDADE SEGURADORA NO BRASIL 

A atividade seguradora no Brasil teve início com a abertura dos portos ao comércio internacional, em 1808. A primeira sociedade de seguros a funcionar no país foi a “Companhia de Seguros BOA-FÉ”, em 24 de fevereiro daquele ano, que tinha por objetivo operar no seguro marítimo.

Neste período, a atividade seguradora era regulada pelas leis portuguesas. Somente em 1850, com a promulgação do “Código Comercial Brasileiro” (Lei n° 556, de 25 de junho de 1850) é que o seguro marítimo foi pela primeira vez estudado e regulado em todos os seus aspectos.

O advento do “Código Comercial Brasileiro” foi de fundamental importância para o desenvolvimento do seguro no Brasil, incentivando o aparecimento de inúmeras seguradoras, que passaram a operar não só com o seguro marítimo, expressamente previsto na legislação, mas, também, com o seguro terrestre. Até mesmo a exploração do seguro de vida, proibido expressamente pelo Código Comercial, foi autorizada em 1855, sob o fundamento de que o Código Comercial só proibia o seguro de vida quando feito juntamente com o seguro marítimo. Com a expansão do setor, as empresas de seguros estrangeiras começaram a se interessar pelo mercado brasileiro, surgindo, por volta de 1862, as primeiras sucursais de seguradoras sediadas no exterior.

Estas sucursais transferiam para suas matrizes os recursos financeiros obtidos pelos prêmios cobrados, provocando uma significativa evasão de divisas. Assim, visando proteger os interesses econômicos do País, foi promulgada, em 5 de setembro de 1895, a Lei n° 294, dispondo exclusivamente sobre as companhias estrangeiras de seguros de vida, determinando que suas reservas técnicas fossem constituídas e tivessem seus recursos aplicados no Brasil, para fazer frente aos riscos aqui assumidos.

Algumas empresas estrangeiras mostraram-se discordantes das disposições contidas no referido diploma legal e fecharam suas sucursais.

O mercado segurador brasileiro já havia alcançado desenvolvimento satisfatório no final do século XIX. Concorreram para isso, em primeiro lugar, o Código Comercial, estabelecendo as regras necessárias sobre seguros maritimos, aplicadas também para os seguros terrestres e, em segundo lugar, a instalação no Brasil de seguradoras estrangeiras, com vasta experiência em seguros terrestres.

FONTE: SUSEP

Nós da ALL RIDERS SEGUROS temos a preocupação e cuidado voltado para que nosso cliente tenha seu seguro de maneira mais apropriada possível em relação à sua necessidade.

Faça uma cotação conosco….

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos elétricos na estrutura e nos equipamentos;

Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

BMW oferece rastreador Tracker Moto instalado com doze meses de serviço grátis

BMW oferece rastreador Tracker Moto instalado com doze meses de serviço grátis

BMW Oferece Rastreador..

A BMW oferece rastreador Tracker Moto instalado com doze meses de serviço grátis para novas compras de oito modelos da marca no Brasil. De acordo com a montadora, participam da promoção as concessionárias de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os modelos indicados para receberem o dispositivo são R 1 200 GS, R 1 200 GS Adventure, G 650 GS, F800 GS, F 800 GS Adventure, F 800 R (Ride e Premium), S 1 000 R e S 1 000 RR.
“Proporcionar segurança é um dos nossos compromissos com os clientes. A parceria entre BMW Motorrad e o Grupo Tracker amplia os benefícios que já oferecemos e está em linha com nosso padrão de qualidade e atendimento”, afirma Matteo Villano, gerente sênior de vendas da BMW Motorrad Brasil.
O Tracker Moto utiliza a tecnologia de radiofrequência, sistema que não sofre interrupção de sinal em lugares fechados como túneis, garagens, subsolos e galpões, e é imune aos inibidores de sinais. O rastreador é blindado, resistente a altas temperaturas, trepidações, poeira e água, e possui bateria própria, com durabilidade de 1 2 meses

Nós da ALL RIDERS SEGUROS temos a preocupação e cuidado voltado para que nosso cliente tenha seu seguro de maneira mais apropriada possível em relação à sua necessidade.

Faça uma cotação conosco….

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos elétricos na estrutura e nos equipamentos;

Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

Novo Filme Nacional leva o mundo das motos para as telas !

Novo Filme Nacional leva o mundo das motos para as telas !

Filme Reza a Lenda !!!

Um novo filme nacional, “Reza a Lenda”,  vai levar as motos para as telas; Primeiro filme com foco direto nas motocicletas, muitos críticos já o apelidaram como o filme “Mad Max do sertão”, porém para quem assistiu, o filme é envolvente com uma trama muito bem escrita.

Sinopse:

Em uma terra sem lei, a sorte favorece apenas os mais fortes e corajosos. Ara (Cauã Reymond), um homem de ação e poucas palavras, é o líder de um bando de motoqueiros armados que acredita em uma antiga lenda capaz de devolver justiça e liberdade ao povo da região. Quando realizam um ousado roubo, acabam despertando a fúria do poderoso Tenório (Humberto Martins). Agora, Tenório vai concentrar todas as suas forças em uma perseguição para destruir o bando de Ara e recuperar aquilo que acredita ser seu por direito. Durante a perseguição, a jovem Laura (Luisa Arraes) é resgatada de um acidente e tem que seguir o bando contra a sua vontade, despertando ciúmes em Severina (Sophie Charlotte), companheira de Ara.

 

Em nosso País, onde a moto é uma paixão de muitos, temos poucas opções de seguro para cuidar de nossas motocicletas, mas lembre-se:

A ALL RIDERS CORRETORA de SEGUROS é especializada em seguro de motos…

Fale conosco, venha conhecer nosso trabalho ou faça uma Cotação online All Riders!

Roubo, Furto, Incêndio, fenômenos naturais, danos , colisões….
Quer saber mais?

Consulte-nos, faça uma cotação online :

Cotação Online ALL RIDERS SEGUROS

Ou fale conosco:

Contato

Cotação Online:

ALLRIDERS CORRETORA DE SEGUROS

ALL3_70

Largo da Misericórdia, 24 - 4º Andar - Sl 13

Centro - São Paulo

atendimento@allriderseguros.com.br

Tel: 55 11 3045-0643